Páginas

sábado, 6 de novembro de 2010

Confessionário

Faço do lápis meu rosário,
Do papel, o peito aberto de Deus.
As confissões que traço
São traços de um espírito precário,
Precavido
De ânsias que poderão jamais me
assistir
Ansioso pela redenção.

Escrevo-me nas pautas.
As sobras de letras caem ao rodapé da página branca.
Escurecem-na.
E cada linha impressa é um nível ultrapassado
Pelo líquido de um sentir ainda amargo,
Outra vez, precário.

Se não me importo com os problemas do mundo?
Escrevo porque eles me circunscrevem.
São as margens que me documentam, me limitam.
Folha, o palco do ato poético frenético da vida.
A priori, minha vida.

Nunca escreveria algo que servisse ao mundo
sem que antes me caísse bem.

21 comentários:

  1. Belo texto!

    Escrever para você é um encontro com Deus e com o mundo... e, contigo, é claro!

    Concordo com as últimas palavras:

    "Nunca escreveria algo que servisse ao mundo
    sem que antes me caísse bem."

    Eu sou assim, se lanço um texto meu ao mundo é porque me agradou, então não faço a tolice de ser hipócrita, dizendo que o que escrevo não é bom. Se sirvo minhas palavras ao mundo é porque elas me soam belas e necessárias, degustáveis.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Rob, meu querido amigo,
    Primeiro quero te agradecer pelo carinho de estar sempre no Faces e segundo dizer que:
    Eu adoro o que vc escreve, com tanta inteligencia e sensibilidade.
    Concordo com o que minha amiga querida, Su disse.
    Se damos nossa cara pra bater é pq antes, ela já foi beijada, por nós msms.

    Bjão e bom fds

    ResponderExcluir
  3. Rob, em palavras refletimos o mundo que nos circunscreve, nesse palco tão nosso que é a folha. Um ato essencial e tão bem descrito por vc.

    bj.

    ResponderExcluir
  4. 'A priori, minha vida.' Disse tudo, Rob! Fico pensando o que significa escrever pra mim, e as vezes a importancia e a definição do que eu sinto quando escrevo parece não existir, parece se perder em meio a um turbilhão de palavras. Acho que não tem um sentido ou um significado, ou até mesmo um sentimento descritivo do que se sente...Quem dera os meus rascunhos soubessem falar! Belo texto!

    ResponderExcluir
  5. "Escrevo porque encontro nisso um prazer que não consigo traduzir. (...) Escrevo para mim, para que eu sinta a minha alma falando e cantando, às vezes chorando... "
    (Clarice Lispector)

    Belo texto! Adorei!!

    http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Aí está uma bela confissão de poeta!
    Grande abraço,
    Adh

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Passei para visitar seu espaço mais uma vez e contar que você está entre os meus escolhidos para o Prêmio Dardos: http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/2010/11/sobre-escrever-clarice-e-o-premio.html

    Grande beijo para você!

    http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Boa Rob...isso aí...tem que servir pra nós mesmos, acima de tudo...Muito bom este texto!!

    []ss

    ResponderExcluir
  9. "Nunca escreveria algo que servisse ao mundo
    sem que antes me caísse bem. "
    LOL
    Muito bom Rob!

    ResponderExcluir
  10. Muito bom garoto... adorei esse!!!
    Compraria um livro seu... claro se você pagar um churras no lançamento!!

    ResponderExcluir
  11. Adorei o texto!
    Não vou ser redundante eu prometo.
    Apenas uma coisa:
    _ Como seria maravilhoso se grande parte dos pregadores pregassem a palavra para si em primeiro lugar ao invés de malhar a igreja...

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. Olá Rob! Tem um presentinho pra você lá no Molhe-se. Beeejo,beeejo.

    ResponderExcluir
  13. É isso aí, poeta, muito bom!
    Abraço

    ResponderExcluir
  14. Bonito isso, escrever aquilo que nos cai bem, nossa percepção sensível do mundo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Caríssimo Bob obrigada pela sua visita e comentário que fizeste.

    Quero dizer que sua crônica é muito boa eu adorei e fiz alusão a lideres religiosos porque entendo que mesmo ela sendo feita sem este propósito suas palavras são impactantes - elas são verdadeiras; posso até trocar o foco e dizer que beleza se os mestres que falam sobre ética, corrupção e blá, blá ; simplesmente fosse exemplo de boca caladinha, rs, rs

    Continue ... não pare eu acredito que vc faz parte das pérolas negras (As mais valiosas );dentre os blogueiros que escrevem bem.

    Se bobear vou te pedir umas aulinhas...

    Fica na Paz!
    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Teu jeito de escrever é único... Tão maravilhoso que quando venho deixar aqui um recado pra ti, me fogem as palavras...

    ( =

    ResponderExcluir
  17. Um belo texto! Coerente, intenso, verdadeiro. Deixar nossas digitais no que fazemos é o que mais conta. Adorei!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Oi querido, já estou lhe seguindo!
    "Nunca escreveria algo que servisse ao mundo
    sem que antes me caísse bem."
    Belas palavras...
    Escreves muito bem!
    B-Jos. doces...
    Até mais ler.

    ResponderExcluir
  19. Olá gostei muito dos seus textos: já sou seu seguidor.
    vou colocar em meu blog um direcionamento do seu
    link para que através de atualizações eu esteja te
    acompanhado. bjos e abraços.

    ResponderExcluir
  20. Muito bonito.

    "Nunca escreveria algo que servisse ao mundo
    sem que antes me caísse bem".

    Gostei.

    ResponderExcluir
  21. Rob

    Vim visitar-lhe e agradecer-lhe por suas palavras em meu blog. Passo sempre que há atualizações por aqui, embora muitas vezes não tenha tempo de comentar seus textos.

    Um abraço,
    Michele

    ResponderExcluir